sábado, 2 de junho de 2012

Mais amor, por favor

Fotografia: http://ygormarotta.com/mais-amor-por-favor

"Sem medo algum, se amem mais."

Era tarde de quinta-feira, depois da chuva e antes do frio. Dia mundial das comunicações sociais e estreia oficial de um projeto permeado por incertezas. Era meu dia de folga, mas não há folga para os que pensam demais, os que ainda não tem um tema para sua monografia e nem para aqueles que não se conformam com o mundo do jeito como ele se dá a conhecer. Na sala apertada, o meu nome (meio complicado) perdia sentido à medida que os pequenos referiam-se a mim somente como profe ou tia

"- Profe, eu não entendi." A gente começou com uma das tarefas mais difíceis, pelo menos pra mim. Definir algo com apenas uma palavra exige habilidade. Escolher uma é abdicar de todas as outras, e essa singularidade conota um sentido particular no que se refere ao significado que essa escolha carrega. Alguns não conseguiram, escreveram linhas, colocaram vírgulas entre as várias palavras. Alguns foram criativos, alguns fizeram as mesmas escolhas. O mais corajoso de todos foi o que teve o processo criativo mais silencioso, ele pediu ajuda baixinho para a professora (a de verdade), com vergonha dos colegas por não ter compreendido a tarefa. Depois de pensar um pouco, escolheu com convicção: amor.

Segundo a professora da turma, a mãe do menino viria ao abrigo no sábado para visitá-lo. Queria poder dizer a ela que o filho tinha escolhido o amor, mesmo tendo todas as razões do mundo para escolher qualquer outra coisa. Talvez tenha sido uma escolha simples, quem sabe, a necessidade mais urgente. De noite, na minha oração, a única coisa que tive coragem de pedir a Deus foi isso. Mais amor, por favor.

0 notas de rodapé:

Postar um comentário

Fique a vontade, a época é toda sua.