sexta-feira, 30 de abril de 2010

Confissão

Confesso que já tive muitos medos, que continuo temendo, porém, outras coisas; confesso que já pensei em desistir algumas vezes, talvez muitas; eu confesso que já fracassei diante de mim mesma; confesso que já errei muito e tentei justificar meus erros das mais absurdas maneiras; eu confesso ter sido desleal com minhas ideologias e princípios; confesso não ter tempo nem disposição para muitas coisas que eu gostaria de fazer, e algumas vezes ter forjado desculpas tão persuasivas para isso que quase me convenci realmente; finalmente eu confesso, não sei ao certo onde vai dar essa estrada e as vezes eu gosto disso, pois confesso, mais uma vez, depois de cada curva a esperança de encontrar a felicidade é o que me faz continuar.

0 notas de rodapé:

Postar um comentário

Fique a vontade, a época é toda sua.