sábado, 12 de setembro de 2009

Extremos

Hoje me acho no direito de temer tanta afinidade e tamanha contrariedade. Os extremos me parecem perigosos, assim como o sim e o não, que norteiam nosso caminho baseados nas escolhas que fazemos, cujas consequências são um risco que nem sempre se está disposto a correr. Inevitavelmente chegará um momento em que o talvez não mais servirá, seremos então forçados a escolher: sim ou não!

0 notas de rodapé:

Postar um comentário

Fique a vontade, a época é toda sua.