terça-feira, 18 de agosto de 2009

Hoje é o que vale

A ferida dos outros dói em mim, queria poder curar e cicatrizar, mas mal sou capaz de cuidar desses arranhões que aparecem todos os dias pra me lembrar que ainda doem aqueles pontos mal suturados de um passado que ainda não passou. Ah, quem dera eu pudesse segurá-los pelos ombros e sacudí-los, quem sabe assim acordassem. Essa gente que não percebe que amanhã a porta pode não mais se abrir, os braços podem não mais lhes alcançar, o sorriso doce pode já não mais lhes contemplar; homens que não dão valor ao seu presente, homens do futuro. Pobres coitados, não conhecem a incerteza do amanhã. Quem sabe um dia compreendam que o HOJE é o que vale, Deus queira que não seja tarde!

0 notas de rodapé:

Postar um comentário

Fique a vontade, a época é toda sua.