quarta-feira, 29 de julho de 2009

Sobre amizade

Sempre me disseram que amigos, amigos mesmo, os verdadeiros dava pra contar em uma mão. Aqueles a quem eu poderia recorrer em qualquer momento, circunstância ou situação. Confesso que sempre achei isso uma grande besteira, pois tinha convicção de que meus amigos enchiam mais do que uma mão, que eu os tinha escolhido com muito cuidado e que poderia contar com qualquer um deles quando precisasse. Então um dia eu acordo e percebo que eles, os meus amigos, escolheram caminhos muito diferentes dos meus, que as estradas nos levam para direções contrárias, talvez até nos cruzemos uma vez ou outra, porém jamais chegaremos a um lugar comum. Entendi, que em algum ponto da linha do tempo da minha vida, o destino e não o acaso distanciou-nos, para que hoje, ao olhar para aqueles que um dia achei que seriam eternos, me sinta aliviada por ter feito escolhas diferentes das deles. Enfim eu aceito, que amigos sinceros eu terei dois ou três ao longo da vida! E o que não faz mais de alguém meu amigo, não é a distância ou o tempo, mas a ausência da personalidade que fazia desta pessoa minha amiga.

0 notas de rodapé:

Postar um comentário

Fique a vontade, a época é toda sua.