quinta-feira, 23 de julho de 2009

Descobertas

Ultimamente tenho me dedicado mais a mim mesma e tenho feito descobertas incríveis sobre esta que vos escreve. Descobri que tenho uma necessidade muito grande de perdoar as pessoas e quando eu não me sinto capaz de fazê-lo sinto-me extremamente mal. Ao mesmo tempo, tenho algum tipo de mecanismo de defesa para com as pessoas que me machucam. Sou tão forte quanto frágil. Tenho medo da morte. Não acredito em sociologia nem em nenhuma dessas teorias de Freud, Durckein ou seus amigo (com todo respeito). Eu ainda acredito nas pessoas e sinceramente, não sei se isso é bom ou ruim. Apego-me com uma facilidade incrível e sofro demais com despedidas, não sei perder amigos nem aceitar que, algumas vezes, eles mudam. Sou egoísta e carente, mas não sou mimada. Tão tímida quanto extrovertida, condicionada pelo ambiente. Eu acredito em Deus e espero que Ele acredite em mim. Descobri que minha mãe me conhece melhor do que ninguém e é pro colo dela que eu vou correr quando tudo der errado, e na verdade eu sempre soube disso. Eu descobri que ainda não sei exatamente o que quero fazer pro resto da minha vida, mas sei o que eu não quero fazer. Ainda que eu saiba que muitas vezes tenho deixado de fazer as coisas certas, eu acredito que não vou passar em branco por aqui, pois descobri que eu sou especial!

2 notas de rodapé:

Demétrio de Azeredo Soster disse...

Oi, menina; tudo? Passei aqui só pra dizer oi. Bem legal seu blog. Grande abraço.

Taíssi disse...

Obrigada Demétrio! Já estou com saudade das aulas, abraços!

Postar um comentário

Fique a vontade, a época é toda sua.